miguel baldez

Caiu a quadrilha

miguel baldezSim. Caiu a quadrilha que dominou Pindorama desde o golpe que arrancou do governo a presidenta Dilma Roussef. Mas será que caiu mesmo? Lembrem que são muitos e estão eles arraigados no poder das várias instituições oficiais desta sofrida República.

A hora é de lutar por eleições diretas. E é isso que cabe ao povo clamar pelas ruas e praças sem dar tréguas às vozes da classe dominante que pretende preservar-se no poder simulando-se democrática com o projeto dito constitucional de eleições indiretas. A quem pretendem eleger?

A direita, como já se disse em outros momentos e vale repetir, é cruel e aguerrida mas, felizmente, para as autênticas demandas, é burra. Veja-se o que houve agora: enquanto se procurou por todos os meios criminalizar Lula, frustrando-se ela em todas as tentativas, fez dele um candidato imbatível em eleições diretas.

E como não pode livrar-se dos efeitos de sua burrice, recorre à violência, eterna golpista, agora exigindo o cumprimento da Constituição. Quer eleições indiretas, certamente buscando nos quadros institucionais corrompidos pelo golpismo o candidato antipovo. Quem sabe um ministro do poder judiciário ou um congressista qualquer.

Agora fala-se, com o apoio dos banqueiros, do Sr. Henrique Meireles, legítimo representante da classe, vindo lá do Banco de Boston. Perderam de vez o pudor… Enfim, querem garantir no poder um fiel representante do golpe que, como bem se sabe, foi orquestrado e efetivado pelos poderes judicial, principalmente, e legislativo.

O caminho da luta pela democracia hoje passa, sem dúvida, por eleições diretas. Grite o povo outra vez alto e bom som: Diretas já!

O trabalhador, a CLT e a reforma da previdência

miguel baldez

A rigor o que tem prevalecido é a ditadura, típica forma de opressão dos poderosos, como hoje neste golpe atual imposto no Brasil pelos Poderes Judicial e Legislativo, poderes que atuam duramente para suprimir vitórias históricas da classe trabalhadora, como o direito do trabalho, consagrado na Consolidação das Leis do Trabalho – CLT, e nas garantias da Previdência Social. Leia mais »

E agora PT?

miguel baldez

Sem núcleos, os seus conselhos populares, o PT perdeu-se como partido dos trabalhadores. E agora, José?, diria o poeta. Será que ainda há tempo? Parodiando Drummond, vale perguntar: e agora Lula? O tempo dirá… Leia mais »

Trump e a luta de classes

miguel baldez

Donald Trump acabou eleito e está aí um republicano fascista presidente dos Estados Unidos, cumprindo, ou procurando cumpri-las, todas as propostas de sua campanha, com reflexos internacionais, além dos efeitos econômicos e sociais domésticos. Aqui o ponto que precisa ser abordado, os efeitos internos. Os Estados Unidos sempre souberam exportar suas contradições para os países em face deles ditos periféricos. Leia mais »