miguel baldez

Fora a Canalhocracia!

miguel baldezHá dias, lendo a palavra canalha em referência a um dos implicados na onda atual de roubos públicos e propinas, lembrei-me da expressão sugerida por colega professor, com muita propriedade aliás: canalhocrata. Tratava-se, segundo ele, de um canalhocrata. Como aquele, tem-se agora um grande número de canalhocratas.

Vivemos, portanto, considerando-se essa gente, um regime político que poderíamos chamar, guardada sua concorrência formal com a democracia, de canalhocracia.

São muitos e têm como característica, além da necessária falta de caráter, uma dose de audácia que lhes garante a postura meio cínica de fingimento democrático.

Mas companheiros não se deixem iludir, é urgente a luta contra os canalhocratas.

E o grito Diretas Já é hoje o principal remédio contra o mal da canalhocracia. Quem são eles? Não é difícil identificá-los a partir do golpe político contra o governo da presidenta Dilma Rousseff. Um golpe bem diferente daquele do século XX, um golpe com a finura do poder judiciário, um golpe com punhos de renda, um golpe de toga e barrete mas que está nos afligindo até hoje.

Importante mais do que nunca desmascarar a classe dominante e acabar com a canalhocracia de vez neste nosso País.

Fora com a canalhocracia e eleições diretas já. Que venha a democracia. Eleições diretas!

Caiu a quadrilha

miguel baldez

Sim. Caiu a quadrilha que dominou Pindorama desde o golpe que arrancou do governo a presidenta Dilma Roussef. Mas será que caiu mesmo? Lembrem que são muitos e estão eles arraigados no poder das várias instituições oficiais desta sofrida República. Leia mais »

O trabalhador, a CLT e a reforma da previdência

miguel baldez

A rigor o que tem prevalecido é a ditadura, típica forma de opressão dos poderosos, como hoje neste golpe atual imposto no Brasil pelos Poderes Judicial e Legislativo, poderes que atuam duramente para suprimir vitórias históricas da classe trabalhadora, como o direito do trabalho, consagrado na Consolidação das Leis do Trabalho – CLT, e nas garantias da Previdência Social. Leia mais »

E agora PT?

miguel baldez

Sem núcleos, os seus conselhos populares, o PT perdeu-se como partido dos trabalhadores. E agora, José?, diria o poeta. Será que ainda há tempo? Parodiando Drummond, vale perguntar: e agora Lula? O tempo dirá… Leia mais »

Trump e a luta de classes

miguel baldez

Donald Trump acabou eleito e está aí um republicano fascista presidente dos Estados Unidos, cumprindo, ou procurando cumpri-las, todas as propostas de sua campanha, com reflexos internacionais, além dos efeitos econômicos e sociais domésticos. Aqui o ponto que precisa ser abordado, os efeitos internos. Os Estados Unidos sempre souberam exportar suas contradições para os países em face deles ditos periféricos. Leia mais »