baldez

Eleições já para derrotar o golpe!

baldezO que se percebe mesmo é, sem esforço, sente-se é uma empenhadíssima perseguição ao Lula. Tudo gira em torno dele, visa a incriminá-lo. É o sítio em Atibaia, um apartamento em Guarujá, teria ele tentado destruir provas, beneficiando-se da caixa dois.

Mas na verdade todas essas, eu diria aleivosias, essas acusações perdem-se no sentimento do povo. O povo não acredita seguro que está na confiança que lhe inspira este trabalhador que graças à sua postura moral e capacidade – isto é o que mais incomoda – intelectual, de simples líder sindical chegou à presidência da República e tornou-se o maior presidente do Brasil de todos os tempos, com reconhecimento doméstico e calorosos aplausos do mundo inteiro.

A emburrecida e perversa classe dominante brasileira não perdoa tanta ousadia e de sua incontrolável violência veio o Golpe, desta vez valendo-se de meios aparentemente legais mas de profunda imoralidade e, na essência, ilegalidade.

Afastaram com inaceitável simulação de impeachment uma presidenta democraticamente eleita. Depois, como se vê com clareza, é impedir que Lula, grande ganhador de todas as pesquisas pré-eleitorais seja candidato e certamente vencedor das próximas eleições. Mas não vencerão, na certa não vencerão esses eternos apátridas.

Por tal razão, nosso entusiasmado apoio a recente artigo do Procurador da Justiça Leonardo Chaves: Eleições Já. Eleições que reponham a vontade do povo. Não só para a presidência do Brasil, mas também para o Congresso. Que venha a emenda que autorize plenas e gerais eleições. Enfim: eleições diretas já!

Miguel Baldez é Procurador aposentado do Rio de Janeiro, assessor de movimentos populares e Professor da Escola da Magistratura do Rio de Janeiro (EMERJ)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>