caravana

Os outros julgamentos de Lula

caravana

A viagem a Curitiba mostrou, com profundidade, o que Lula e os anos de governo PT representam para parte do povo brasileiro. Quando se trata de manifestações contra o atual governo e suas reformas, nem sempre é possível observar o perfil dos manifestantes e os efeitos dos programas sociais.

O depoimento de Lula mobilizou caravanas de todo país, levando a capital paranaense a grande base popular que defende, com unhas e dentes, os feitos do ex-presidente.

Durante a viagem e a curta estadia em Curitiba, ouvi relatos e um pouco da história de alguns desses brasileiros.

Em uma das paradas, ainda no estado do Rio, tive a oportunidade de conhecer Luciano Andrade. Morador de Barra Mansa, o pedreiro, deixou mulher, filhos e netos na cidade natal e embarcou sozinho no ônibus para Curitiba. Entrou calado, tomado pela timidez, levando consigo somente a roupa do corpo.

As longas horas de viagem não foram o suficiente para tirar o brilho nos olhos de Luciano. Aquele olhar era a tipificação de quem tem orgulho do que defende.

Na hora do almoço, quando ele comia lentamente, bem ao ritmo interiorano, relatou detalhes de sua vida, antes e depois de Lula.

A casa, até a chegada de Lula, não possuía acabamento e artigos básicos. Mesmo com muito trabalho, o dinheiro sempre faltara. As refeições, durante muito tempo, limitaram-se ao fubá.

Nos anos de crescimento do país foi possível acumular dinheiro, mesmo que em poucas quantias, o que possibilitou a melhora na qualidade de vida. A desejada obra no lar aconteceu e um pouco de conforto foi dado a si e aos seus.

Lembrando-se da infância, tem o pensamento interrompido pela preocupação com os netos. Franze o cenho e diz em tom duro: “Não quero de maneira nenhuma que eles passem o que eu passei. A gente não tinha nada.”.

A identificação com Lula o aproximou da política. Percebeu que o assunto não era somente para os engravatados de discurso empolado. Luciano acompanha o dia-a-dia da política brasileira, assiste a documentários, vasculha o passado do nosso povo e emite opiniões com sobriedade e conhecimento. Diga-se de passagem, sem ódio ou pedantismo algum.

Sua história é a história de quase todo brasileiro pobre, morador do interior: muito trabalho, pouco dinheiro e quase nenhuma perspectiva de dias melhores, a não ser pelos votos de fé. A queda de Dilma, os projetos propostos pelo governo Temer e os efeitos da Lava Jato são uma catástrofe e um retrocesso para quem vinha melhorando pouco a pouco.

A justificativa para todo aquele esforço que o fez ir até Curitiba foi resumido em poucas palavras: “Não se trata somente de admirar Lula, eu preciso dele de volta na presidência. Não quero que meus netos passem o que eu passei na infância”.

Talvez sejam esses os detalhes que parte da população abastada, despreza.

O que muita gente não entende é que para quem tem pouco ou quase nada, Lula é tudo.

Para Luciano e muitos outros milhões de brasileiros, Lula vale a luta.

Foto(*): juniordelonge.blogspot.com

Paulo Branco é professor de Artes Marciais e cronista.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>